Saúde Pública

ZINCO E ACNE

14/07/2017 - 08:34

Zinco para o tratamento da acne? 

A acne é uma desordem do folículo pilosebáceo. Suas manifestações se dão por meio de pápulas, pústulas e infiltrados na pele1. O tratamento de primeira linha é a monoterapia tópica com retinoide ou peróxido de benzoíla. Para acne moderada ou grave pode ser necessário associação de um antibiótico (eritromicina, minociclina ou clindamicina), com retinoide e peróxido de benzoíla. Para acne grave ou acne com resposta inadequada a 2-3 meses de antibiótico oral mais terapia tópica, as opções incluem terapia hormonal, contraceptivos orais associados ou não a espironolactona oral, para mulheres, e isotretinoínapara os demais pacientes1. Restrição dietética não demonstra ser benéfica no tratamento da acne, mas uma dieta com baixa carga glicêmica pode melhorar a acne1.

Considerando que o baixo teor de zinco pode ser responsável pelo desenvolvimento da acne2, estudos têm investigado a eficácia do zinco no manejo da mesma.

Consultando fontes terciárias, é reportado que o uso diário de 135mg de zinco elementar por um período de 6 semanas resultaem benefícios leves, com diminuição significativa no número de pápulas, pústulas e infiltrados. O zinco na forma de gluconato de zinco mostrou-se efetivo na menor concentração (30mg diários)3.

O uso off-label de gluconato de zinco 200 mg apresenta resultados positivos para diminuir a acne; em contrapartida, o sulfato de zinco 2% em uso tópico não altera as manifestações da acne3.

Revisão sistemática da Cochrane® de 2012 evidenciou que a minociclina apresentou maior atividade contra lesões inflamatórias do que o zinco isolado, porém a minociclina foi inferior a combinação tópica de 4% de eritromicina e 1,2% de zinco contra lesões inflamadas e não inflamadas4.          

                                                                                                                                                       Texto elaborado por Acadêmico Iago Christofoli

Revisado por Prof. Tatiane da Silva Dal Pizzol

1.     EBSCO DynaMed website. Disponível em: http://www.ebscohost.com/dynamed/. Acesso em: 12/07/2017.

2.     Harrison'sTM Principles of Internal Medicine, Nineteenth Edition Copyright © 2015 by McGraw-Hill Education.

3.     DRUGDEX® System. MICROMEDEX® Truven Health Analytics. The Healthcare Business of Thomson Reuters. Disponível em: http://www.micromedexsolutions.com/home/dispatch. Acesso em: 12/07/2017.

4.     Cochrane Database of Systematic  Reviews. Minocycline for acne vulgaris: efficacy and safety. Disponível em:http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD002086.pub2/full. Acesso em: 12/07/2017.

5.     DERMARDEROSIAN, A.; BEUTLER, J. A. (Ed) The Review of Natural Products: the most complete source of natural product information. 7. ed. St. Louis: Facts and Comparisons, 2012.

6.     SWEETMAN S. (Ed), Martindale: the complete drug reference. London: Pharmaceutical Press. Electronic version, Greenwood Village, Colorado: Truven Health Analytics. The Healthcare Business of Thomson Reuters. Disponívelem: http://www.micromedexsolutions.com/home/dispatch. Acesso em: 12/07/2017.

7.     BRATMAN, S.; GIRMAN, A. M. MOSBY’SHandbook of Herbs and Supplements and their Therapeutic Uses. St. Louis: Mosby, 2003.

8.     DUNCAN, B.B.; SCHMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E.R.J.; Medicina Ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 

CIMRS.org.br
Saúde Pública

Enviar Comentário